Skip to content

Ser catequista…

Fevereiro 7, 2009

Catequistas… vejam este filme… parftilhem as lições que tiraram para o vosso trabalho como catequistas. Estamos habituados a ver coisas muito claras, que nem nos fazem pensar. Isso tudo está bem presente neste filme.

About these ads
15 Comentários leave one →
  1. miná ( Famalicão) permalink
    Fevereiro 9, 2009 21:02

    Interessante!
    O oleiro…o sopro…a vida…!

  2. Carla (Catequista 3º Ano) permalink
    Fevereiro 10, 2009 09:42

    Olá bom dia!!!!

    Um excelente filme, com uma mensagem “oculta” que nos retrata em muitos momentos da nossa vida, onde se inclui, claro está, o nosso “TRABALHO” enquanto catequistas…
    O barro deste filme serão as nossas crianças e nós os aprendizes de oleiro….queremos muitas vezes a perfeição à força, o ideal logo à primeira….e nem sempre, ou quase nunca, isso é possível. Por outro lado, nem sempre sabemos ter os braços abertos para elas, nem sempre as sabemos acolher, para assim conseguir receber carinho, luz e “sumo” do nosso barro…
    Mas tal como no filme, contamos sempre com o “sopro” amigo do nosso mestre: JESUS, que nos orienta, nos conforta e nos dá alento. Com ele, com a nossa perseverança e com o barro que temos nas mãos, conseguiremos sempre fazer “PEÇAS LINDAS”….nem que seja só uma…Por essa, já valeu a pena “sujar” as mãos.

  3. Fevereiro 13, 2009 11:20

    Este filme transporta um conjunto de mensagens muito ricas sobre o ser do catequista.
    Em primeiro lugar, destaco a figura do oleiro: parece um monstro, mas com um coração e uma pedagogia de ouro. Faz-me lembrar do filme, a bela e o monstro. O monstro também é capaz de amar, e melhor do que ninguém.
    Depois reparo na atitude do aprendiz. Quer aprender, mas o oleiro não ensina tudo. A melhor forma de o fazer é incentivando a trabalhar, a esforçar-se, a não desistir à primeira.
    Quando consegue a primeira peça perfeita, não se sente ainda realizado. Quer mais… quer imitar o mestre. Este parece fazer tudo facilmente. Qual o segredo? Está no coração, no amor, em amar o barro, numa força espiritual que brota de dentro e não nas nossas capacidades.
    Ah. Descobriu. Mas… o barro ganha vida… e foge… e agora?
    É preciso respeitar o barro, a sua essência, a sua identidade. Para isso é preciso criar empatia, saber acolher. Para isso coloca as mãos em posição de acolhimento, como que a convidar. Pelo gesto, e pelo olhar, o barro sente-se respeitado e acolhido. E vem. E já não é o oleiro a ditar o que quer fazer. Orienta, acompanha, mas deixa-se conduzir pela dinâmica pessoal do barro. Porque aquele barro tem dentro de si uma vida própria, e bela, que se revelará no final: a beleza da peça, com uma identidade única, e com um coração próprio.
    O catequista é alguém que tem de aprender de Deus.
    Alguém que precisa ser, saber e saber fazer. Isso constrói-se, treinando, estudando, fazendo. Sem desistir. Mas só consegue realmente alguma coisa, quando se sente insatisfeito, e não se instala na rotina, considerando as suas capacidades e vontades.
    A verdadeira pedagogia vem do coração. Do amor ao outro. Amor que se traduz em empatia, respeito, escuta, diálogo, conhecimento. Com estas atitudes, consegue que a criança se sinta acolhida e respeitada na sua especificidade. Não as trata todas por iguais. Mas escuta, deixando-as descobrir o tesouro que transportam dentro delas. O catequista orienta. Porque ninguém educa ninguém. Nós é que nos educamos a nós próprios, descobrindo a semente de que somos portadores, e fazendo-a descobrir. Os outros, são apenas modelos, pontos de referência, que ajudam a reflectir e apresentam ideais. Se forem interiorizados, temos educação. Se forem impostos, temos domesticação, que mais cedo ou mais tarde, irá fazer saltar os efeitos com comportamentos desviantes ou traumatizantes.

  4. Pe Marcos permalink
    Abril 24, 2009 18:14

    A paz de Cristo!
    Vou ter uma formação para catequista.
    Gostaria de saber como baixar este lindo filme sobre O Oleiro (ser catequista).
    Muito obrigado.
    Pe marcos

  5. Elany permalink
    Abril 6, 2010 18:01

    Esse filme mexeu profundamente comigo, de forma a sentir as lágrimas caindo no rosto. Pois ser catequista para mim é exatamente isso. É ter paciência e não ficar esperando que milagres aconteçam, se não agimos com nossas próprias mãos. Eles acontecem sim, se formos fortes, compreensíveis e irmos sempre em busca do único objetivo: Apresentar Jesus a todos os que o procuram… Deixeis os nossos corações abertos às mudanças, as realidades e ao sopro da vida.
    Modeleis as nossas crianças, os nossos jovens, tendo a certeza que cada um precisa de um tempo para conseguirmos criar peças lindas e barros encantadores. A todos os amigos catequistas, muita paz e bem!

  6. fatima permalink
    Março 15, 2011 01:12

    Boa Noite Padre!
    Levei o filme e o seu comentario explicativo, que descreve a essencia do ser catequista.
    Obrigada

  7. Ceiça permalink
    Agosto 18, 2011 04:07

    Oi, Esse filme é lindo, não só porque trata do ser catequista, mas, primeiramente, do cuidado de Deus conosco. Precisava sentir novamente esse cuidado comigo e percebi que Deus não desiste de nos animar.

  8. Sueli Bertoletti permalink
    Outubro 25, 2011 19:19

    Sou catequista há mias ou menos 25 anos, e sempre pensei que td devo fazr com mto amor e o tempo da colheita é de Deus.
    Mto boa a confiormação que me veio através de ste video
    Abraços Sueli
    Deus os abençoe e Maria SSma os proteja

  9. Conceição Arlete Carvalho Ferreira permalink
    Novembro 6, 2011 20:39

    Adorei este filme.Me fez refletir melhor sobre ser catequista.Ás vezes queremos fazer tudo certo da primeira vez,esquecemos qto DEUS é paciente conosco,sempre nos ensinando a ter calma e paciencia que tudo da certo.Abraços Arlete.

  10. Fevereiro 13, 2012 22:50

    goste demais deste filme sou catequista 25 anos cada dia aprendemos nunca sabemos td é só colocar nas maos de Deus Ele é o nosso mestre, bjos.

  11. Pe. Valter permalink
    Fevereiro 16, 2012 00:38

    quero baixar esse vídeo, como faço?

  12. Fevereiro 16, 2012 14:51

    Pode utilizar o site zamzar.com.

  13. Abril 13, 2014 22:45

    Lindo !!seria bom se cada catequista,buscasse realmente esse dom na alma,pois são tão poucos que realmente abrem seu coração para fazerem algo diferente ;agarram-seao já existente sem tom sem um nuance,não se novas a propostas de criarem um projeto dentro da própria proposta.Quando vou a missa dos domingo,saio perplexa,é muita bagunça,niquem sabe quem é catequista e catequizados,alguns no quasse final saem primeiro que o padre,namoram dentro da igreja na hora da missa,beijão se.Oque realmente são estes?? Nossas igrejas parecem esta no desespero, pois da funções de catequistas a quem nada tem para partilhar.Gente são estes que depois de terminarem sairão mais vazios do que quando entraram,depois de tudo tampouco retornam a igreja. Quando se tem amor se tem encontro e proposta se tem respaldo,é beleza que apenas essas crianças é capaz de ver ,tem que se encontrar meios de os atrair a este AMOR DIVINO,olha eu não tenho vergonha de falar eu fui catequizada por um evangélico eu apenas ia além do que ele me apontava,acreditem essas crianças que hoje vivem nestas dão um banho em nossos jovens hoje quando o assunto é a bíblia.Não esqueçam crianças e adolescentes estão sendo vitimas de outras coisas que se diz igrejas por causa dessas falhas,Vocês podem não acreditarem mas elas tem desejo de aprenderem de conhecer cabe então o seu desejo o seu Amor de corresponder.

  14. Abril 13, 2014 22:56

    Colocar nas mãos de Deus ,mas jamais esquecermos do que ficou na nossa!!!eu comparo catequista como fazer um arroz,simples mas rico no sabor basta Amar o que vai fazer,as catequistas de hoje ou estão fazendo o papel de vó,que tudo pode!!! se a criança aprender a Amar a Deus com certeza ele saberá fazer de si uma grande virtude.

  15. Tinoco permalink
    Junho 22, 2014 08:33

    Impingir uma mitologia a menores indefesos roça a froñteira da dignidade humana. As crianças só deve ser ministrado ensinamento com base na verdade do conhecimento: a Matemática, a Língua materna, o Estudo do Meio, as ciencias…Apenas quando forem adultas, legalmente maiores de idade, poderão eventualmente interessar-se por opções de índole religiosa.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 653 outros seguidores

%d bloggers like this: