Skip to content

Páscoa (1)

Março 28, 2008

pascoa“…Jesus de Nazaré que procurais, não está aqui. Ressuscitou”… Surpreendem-se com este pensamento… na verdade não tinham ainda entendido a escritura segundo a qual Jesus devia ressuscitar dos mortos, como tinha dito.

É o primeiro dia da semana: o Domingo – de manhãzinha, ainda momento de silêncio antes do despertar da natureza.
Momento de ressurgimento das forças do dia, que há-de deslumbrar em sol radioso, momento de uma vida renovada que se nos oferece para ser vivida. É o primeiro desafio.

As mulheres: testemunhas da Sua vida, da Sua paixão, morte e sepultura, primeiras a sentirem o sinal, querendo acreditar na vitória da vida, são a figura de todos quantos formam a comunidade de Cristo, aqueles que espontaneamente acreditam na Sua palavra.

Pedro:Vê os sinais no sepulcro que dão a entender que qualquer coisa de transcendente terá acontecido. Afinal o corpo não tinha sido roubado, como tanto temiam os judeus (e os romanos). O corpo não está ali mas os panos em que tinha sido envolvido na véspera ali estão a seus olhos. O corpo de Cristo largou tudo o que o prendia à terra e tornou-se glorioso na eternidade apontando-nos uma vez mais o caminho para O seguirmos.

Jesus Cristo passou da morte à vida, não para uma nova vida material, como a que viveu até ao Calvário, porque se assim fosse ficaria de novo sujeito à morte, mas sim para uma vida sobrenatural e gloriosa. Mistério da nossa FÈ.
Em face destes acontecimentos, em face disto, qual é a nossa postura?
A resposta é de cada um e temos de a procurar e de a encontrar individualmente.
Procuro eu encontrar os sinais de Deus na mensagem de Cristo?
Procuro esses sinais também na Ressurreição?
Como os discípulos vou também célere ao encontro de Jesus e acredito realmente que é um ressuscitado?
E a minha vida é a de quem acredita na morte e ressurreição? Eu sou também um ressuscitado?
Se o sou, devo então correr também a anunciar que o sepulcro está vazio porque Ele ressuscitou.
Eu sou um discípulo (aquele que se disciplina) de Cristo. A Sua ressurreição, implica a minha também.
ZéLuiz

Advertisements
3 comentários leave one →
  1. miná permalink
    Março 28, 2008 22:16

    Zé Luiz: gostei de ler o seu texto como reflexão , mas gostei muito também da imagem que o ilustra|
    É sua ou do Padre Zé Carlos?
    Quer seja dum ou doutro gostava de a possuir mas em ponto maior; como é que isso se faz? (perdoem a minha ignorância mas respondam-me por favor)

  2. Março 28, 2008 23:28

    Tão simples como clicar em coma dela. Irá aparecer só a imagem ampliada. Depois, com o botão direito do rato, clique em cima e mande guardar. Tudo de bom.

  3. miná permalink
    Março 31, 2008 21:10

    Olá, uma vez mais!
    Elaborei um cartaz para a catequese do 3ºano, sessão nº21, com a imagem deste texto que considero ficou muito interessante e aplactiva para o grupo em causa; eu, catequista ,acho-a com muito significado e também muito alegre, com muito colorido, como as crianças apreciam.Oxalá « surta » o efeito que espero!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: