Skip to content

Mulheres

Maio 23, 2008

Hoje quero lançar uma reflexão, e dar uma oportunidade para que façam a vossa, sobre o papel das mulheres na vida da Igreja.
Há dias, vi um programa televisivo em que abordava as cotas das mulheres na vida pública e política da sociedade. Esta foi a motivação para esta reflexão.
Embora eu não me reveja nessa questão de cotas, porque não considero que seja dessa forma que se coloca a mulher na vida activa da sociedade, com a dignidade que elas merecem. As pessoas deveriam ser escolhidas para os cargos nunca em função do seu sexo, mas da sua competência.

Na Igreja qual o papel da mulher? Nos documentos da Igreja, a mulher pode subir ao altar, mas dão prioridade aos homens. As mulheres ainda são vistas como pecado. Consequência, talvez, da história de Adão e Eva. Mas porque é que havemos de interpretar que Eva tentou Adão? Em primeiro lugar, essa não é a intenção do livro. Depois, o homem é um ser racional e livre, e se caiu em pecado é porque quis. Não consigo concordar com a filosofia barata de que as mulheres são sempre as culpadas e os homens as vítimas. Além do mais, os homens não estão a ver que estão a perder a sua dignidade ao afirmar uma barbaridade destas?

Depois, ao homem tudo é permitido, à mulher tudo é proibido. Será que estamos a reduzir a dignidade da pessoa humana apenas a uma parte do corpo diferente? Pobrezinhos de nós se pensamos dessa forma. Mas esta é uma questão cultural e de educação que precisa de ser reajustada.

A mim, não me repugna nada ver uma mulher nos lugares de decisão da Igreja. Quem sabe até como padres. Que têm elas a menos que os homens? Será que nós ainda não reparamos que se as mulheres fizerem greve na Igreja, ela não funciona? Pensemos nos papeis que é representado maioritariamente por mulheres: catequese, grupo coral, leitores, zeladoras, limpeza, assistência social, e até Ministros Extraordinários da Comunhão. Embora que neste movimento, ainda há muito para andar, porque já estão muito perto de Nosso Senhor, dizem alguns.

Há que mudar de mentalidade. Não por causa de cotas, mas por justiça e dignidade. Se não forem as mulheres a darem um pouco de humanidade à sociedade e à Igreja, ficamos demasiado secos, racionais, autoritários, insensíveis. Mudemos de mentalidade nos pequenos pormenores, para depois chegarmos às grandes decisões. Se um homem tem uma amiga mulher, que pensa toda a gente? Estão a ver que é aqui que precisamos de mudar?!
Tenhamos cuidado com a forma como falamos das pessoas do sexo oposto. Falemos com respeito e respeitemos a dignidade da pessoa humana, seja homem ou mulher. Purifiquemos a nossa mente e o nosso coração da maldade e do preconceito. Deixemos de nos centramos em falsas questões, como a da tentação,em que Jesus apenas escolhe homens, e outras, e não tenhamos medo de tocar na ferida. Não defende que seja apenas uma questão de igualdade, mas de dignidade. A sociedade e a Igreja precisa das mulheres. Só temos a ganhar com isso.

Termino com um obrigado às mulheres das minhas paróquias, pelo seu trabalho, dedicação e carinho a Deus e à Igreja. (E porque estamos a falar de igualdade, obrigado aos homens pela sua colaboração.) Juntos, homens e mulheres, faremos uma sociedade e uma Igreja melhor, mais humana.

2 comentários leave one →
  1. miná ( Famalicão) permalink
    Maio 23, 2008 21:08

    Boa-noite!
    No fim de um dia de muito trabalho e responsabilidade, apreciei muito e uma vez mais esta questão levantada pelo P. Zé Carlos.Não porque sou mulher e queira«chegar a brasa à minha sardinha», mas sim, porque me parece de toda a justeza esta «valorização» do trabalho feminino em todas as dimensões, isto é , não só no trabalho que elas fazem na Igreja, como por exemplo no trabalho doméstico, que poucos valorizam.A mulher é o motor duma casa, nas suas tarefas rotineiras, e que bem lhe saberia se, depois de compor uma jarra de flores com todo o cuidado, amor, perfeição, alguém reparasse nesse arranjo!:!…Poucos se apercebem da sensibilidade da mulher!
    Não concordo em absoluto com as «cotas obrigatórias pré definidas», na política, por exemplo, mas que para trabalho igual, salário igual , isso com certeza.
    Ao longo da minha vida profissional, muitas vezes fui chamada a exercer cargos de chefia e de muita responsabilidade, porque não aceitar!?
    Não consigo compreender porque razão se põe tanta «carga negativa» nas mulheres.
    Na Bíblia está escrito « Deus criou homem e mulher à sua imagem e semelhança», que eu saiba( e corrijam-me se estou errada), Deus não falou só do homem, pois não?
    Bem, por aqui me fico, mas com vontade de dizer muitas mais coisas, mas fica para outra ocasião

  2. Maio 25, 2008 04:10

    Olá!

    Deixo-vos aqui uma entrevista a um amigo meu para a Rádio Festival sobre o papel das mulheres na igreja.

    http://derrotarmontanhas.blogspot.com/2008/05/bom-dia-convidaram-me-para-uma.html

    Aconselho vivamente a que todos oiçam…

    Abraço!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: