Skip to content

Histórias da vida

Fevereiro 17, 2009

ERA UMA VEZ…
4 funcionários chamados Toda-a-Gente, Alguém, Qualquer-Um e Ninguém.

Havia um trabalho importante para fazer e Toda-a-Gente tinha a certeza que Alguém o faria. Qualquer-Um podia fazê-lo, mas Ninguém o fez. Alguém se zangou porque era um trabalho para Toda-a-Gente. Toda-a-Gente pensou que Qualquer-Um podia tê-lo feito, mas Ninguém constatou que Toda-a-Gente não o faria. No fim, Toda-a-Gente culpou Alguém, quando Ninguém fez o que Qualquer-Um poderia ter feito.
Foi assim que apareceu o Deixa-Andar, um 5º funcionário para evitar todos estes problemas.

9 comentários leave one →
  1. fatima fontes permalink
    Fevereiro 17, 2009 20:58

    eh eh eh….. gostei da história, na realidade é mesmo assim. Muita falta de Comunicação e deixa andar.

  2. Fevereiro 17, 2009 22:11

    Como se diz na rua prego a fuundo e FÉ em DEUS.

  3. Carla Gonçalves permalink
    Fevereiro 17, 2009 23:46

    Esta “terapia” é muito usada pela hierarquia de topo no meio laboral, para responsabilização e sensibilização dos colaboradores (quadros, e outros)… Foi nesse contexto que a ouvi.
    Na vida…….nunca tinha pensado nisso…Mas…é, o relaxamento, toma muitas vezes conta das familias, dos pais, dos educadores…..Às vezes na vida, temos de fazer papel de hierarquia de topo!!

  4. Fevereiro 18, 2009 01:56

    É verdade… esta é a história de muitas vidas, de muitas comunidades…
    É preciso que haja mais funcionários “Responsabilidade”, “Posso ajudar”, “Podes contar comigo”, “Vamos falar do que nos vai cá dentro”, “Respeito”, “Colaboração”, “Partilha”, “Ganhamos todos”.

  5. miná ( Famalicão) permalink
    Fevereiro 18, 2009 17:22

    Detesto o « deixa andar», »depois se vê», e tantas outras frases e atitudes que irresponsavelmente as pessoas tomam!

  6. Fevereiro 18, 2009 18:09

    Permitam-me esta ideia: é preciso discernimento para saber deixar andar, ao menos algum tempo. A precipitação é má conselheira. O Deixar andar não pode é ser por preguiça, desinteresse, passiva. O Deixa andar ter de ser consciente, activa, atenta.

  7. fatima fontes permalink
    Fevereiro 18, 2009 18:13

    se você sempre diz que está ocupado,então nunca está livre.
    se você sempre diz que não tem tempo,então nunca terá tempo.
    se você sempre diz que vai fazer tal coisa amanha,então o amanha nunca chegará.

  8. carla permalink
    Fevereiro 19, 2009 00:26

    Só não compreendo como o “deixa-andar” resolve o problema…

    A verdade é que nem sempre é fácil sair de um papel passivo, mais critico que interventivo e passar a desempenhar um papel activo, interventivo. Porque isso implica envolvimento, responsabilidade, “chatice” MUDANÇA!!!

    Muitas vezes sou o “deixa-andar” por covardia…
    Um amigo disse-me: “se acreditas, vai em frente”, mas não é fácil, sempre que dou um passo para a mudança “toda-agente”,
    “alguém”, ou “ninguém” resiste, contesta…

    Como fazer um grupo “deixa-andar” sentir necessidade de mudança?

Trackbacks

  1. EMRC CAD » Histórias da vida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: