Skip to content

Diante do espelho

Abril 21, 2009
tags:

Quero sair de casa. Observo a roupa, os sapatos… devo estar bem.
Eu, diante do espelho. Olho o cabelo, o rosto, os olhos, as sobrancelhas, maquilhagem… quero parecer bela(o) quando saio.
Exaltar a minha beleza.
O espelho. Pedaço de vidro transparente, polido, encoberto por uma camada de prata.

Um dom nas mãos: um espelho. Olho-me. à minha frente, reflectido, o meu rosto. Observo o meu cabelo, a fronte, os olhos, o nariz, as bochechas, os lábios, o queixo.
Sou eu… treme-me a mão. Tenho medo de me olhar com atenção?
Observo-me novamente: tenho diante de mim um rosto. Diz-me quem sou. A minha história… olho para além dos traços: para além dos detalhes, para além do olhar.
Reflicto. O passado, o presente, expectativas, frustradas, esperanças… os dons…
Eu e a minha existência: aquilo que sei, aquilo que tenho, aquilo que faço.
Aquilo que sou… aquilo que quero ser.
Qualidades… e defeitos… desejo de ser diferente…
De ver o projecto, a minha realização.
… Diante do espelho, diante de mim.
… fracasso. Bloqueio. Evoco um confronto com os outros.
… tenho necessidade de um espelho diferente.
Um espelho que vive. Um espelho que sabe. Percebe. Ama.
Um ESPELHO-ENCONTRO.

3 comentários leave one →
  1. Fátima Fontes permalink
    Abril 21, 2009 23:43

    Não penses para amanhã. Não lembres o que foi de ontem. A memória teve o seu tempo quando foi tempo de alguma coisa durar. Mas tudo hoje é tão efémero. Mesmo o que se pensa para amanhã é para já ter sido. Foi o que dele nós escolhemos no sonho do nosso absoluto. Não penses para amanhã na urgência de seres agora. Mesmo logo à tarde é muito tarde. Tudo o que és em ti para seres, vê se o és neste instante. Não esperes, sê agora.

  2. Manuel permalink
    Abril 22, 2009 23:15

    Reflicto!
    Eu e a minha existência…..
    Diante do espelho, lá estou do outro lado.
    Cada manhã é um recomeço.
    O reflexo, gémeo de mim mesmo, permanece copioso dos meus movimentos.
    Fito-o!
    Sei que está diante de mim, mas não o vejo…..sinto-o apenas como um plagiador do que eu faço, mesmo quando quieto.
    Diante dele, também paro um momento, reflectindo nos dias de ontem, ou em presságios de dias futuros. Medito no peso das palavras recebidas, muitas vezes ditas, em que procuro encontrar o porquê desta vida que me acompanha e me consome.
    Finalmente reparo que diante de mim, se encontra um sujeito que teimosamente espera que eu corte os pelos que crescem na minha cara. É isso que eu faço!
    Este é o instante que me sinto renascer para poder entrar, finalmente, no comboio da vida.

  3. Fátima Fontes permalink
    Setembro 22, 2009 10:20

    Por vezes fico a perguntar-me porque é tão difícil ser transparente? Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros. Mas ser transparente é muito mais que isso. É ter coragem de expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que se sente…ser transparente é desnudar a alma é deixar cair a máscara baixar as armas, destruir os imensos muros que nos empenhamos tanto para levantar…Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura desabroche, transborde! Mas infelizmente, quase sempre a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam do mais profundo do nosso ser.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: