Skip to content

Dia da Mãe

Maio 2, 2009

Dedico esta entrada à minha mãe, pelo dom da vida, pela educação, pelo apoio incondicional, pela frase que um dia me disse: “Aconteça o que acontecer, faças o que fizeres, serás sempre meu filho, e irei estar sempre do teu lado. Não importa o que os outros pensam, mas o amor que tenho por ti”. Obrigado mãe.

Estendo a minha homenagem, em nomes de todos os filhos, às mães. Permitam-me que destaque as da minhas paróquias e às que conheço. Continuem a acompanhar os vossos filhos, porque eles amam-vos muitíssimo. Que Maria, vos abençoe e proteja.

Anúncios
2 comentários leave one →
  1. Manuel permalink
    Maio 3, 2009 15:47

    Demasiadas, foram as vezes que não pensei na minha mãe.
    Mas eu sabia que ela estava lá.
    Com um sorriso no olhar (às vezes triste), me aconchegava, me aconselhava, me acariciava e sempre, sempre que eu precisasse.
    Sempre a vi com força, cheia de saúde, sempre presente, cheia de vida. Mesmo nos seus oitenta anos, continuei a vê-la enérgica, como se o seu tempo físico permanecesse nos 30 ou 40 anos.
    Deixei-me levar, imensamente egoísta, por este frenesim da vida, e não pensei na minha mãe. De que ela também precisava de um aconchego, de um mimo, de um sorriso, de um beijo meu.
    Ah! Tanta ingratidão, tanto egoísmo, tanta maldade…………….., que fui, que sou. Não me permitiu ver que a minha mãe estava a ficar doente; que não se alimentava convenientemente; que a medicação que lhe era recomendada, não estava a ser tomada devidamente; que não dormia, as horas necessárias, simplesmente porque andava preocupada com os problemas dos filhos.
    Eu falhei, como filho, quando ela mais precisava de mim.
    Hoje eu sei que, sem me dar conta, a minha mãe era o equilíbrio da minha vida. O equilíbrio que hoje tanta falta me faz e pela qual sinto-me a cair, sinto que me definho numa estrada sem luz, sem sentido, sem vontade….
    Tanto tempo me destes e eu não te dei nenhum.
    Desculpa mãe!
    Desculpa a minha ausência!

  2. miná ( Famalicão) permalink
    Maio 5, 2009 13:00

    Falar das MÃES é belo, mas falar da nossa mãe é ainda mais belo, mas muito doloroso!
    O Manuel disse muito bem « ela é o nosso equilíbrio»…
    Passados 10 anos que a minha partiu para o PAI, eu não tenho « remorsos» pelo tempo que não lhe dei, tenho sim , muitas saudades pelo tempo que passei junto dela, foi tão bom!
    Cada ano que acontece a festa das mães, o meu coração fica incontrolávelmente triste, sofrido, angustiado , porque não posso dar-lhe aqueles abraços calorosos que tanto nos satisfaziam às duas; o que eu fazia para ver a minha mãe feliz!1
    Se pudesse aboliria « o dia da mãe», podem crer, eram dias de muito sofrimento que eu não passava, porque é superior a mim, estas lágrimas que teimosamente correm horas seguidas pela minha face de tanta saudade que sinto!
    Sou mãe de 2 filhos, mas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: