Skip to content

Pre-conceito

Maio 11, 2009

Este fim de semana reflectimos sobre o preconceito. Considero que é impossível não termos preconceitos. A palavra preconceito está dividida em duas parte: “pre” e “conceito”. Ao ouvirmos esta palavra damos logo um sentido pejorativo, esta palavra apenas quer dizer que existe um conceito, um conhecimento, uma ideia feita anteriormente. Considero que seja inevitável que assim seja. É desta forma que nos preparamos para as coisas, e prevenimos algum mal. Além do que, a nossa memória, as nossas experiências interiorizadas são uma fonte de conhecimento que nos preparam para situações novas. O risco do preconceito está quando colocamos rótulos, insubstituíveis. Quando absolutizamos os “pre-conceitos” sem darmos oportunidade a que o conceito novo ocorra. Se deixarmos que ele nos envenene o espírito de abertura, a surpresa, a renovação, então é perigoso e mau.

Existe o preconceito connosco mesmos: quantas vezes somos demasiado preconceituosos connosco. Não acreditamos em nós mesmos, não nos damos ao luxo de novas oportunidades, pensamos mal de nós mesmos, achamos que não somos capazes, culpabilizando-nos de tudo. Os também pode ocorrer o preconceito em pensarmos que somos os únicos bons, os únicos certos, os únicos inocentes. Muitas das vezes, estes preconceitos são criados pro causo de um outro preconceito.

O preconceito com os outros. Passamos a vida a julgar os outros, a rotular as pessoas, sem termos um conhecimento o mais profundo possível da pessoa, dos seus valores, das suas razões, da sua vida. Somos muito bons a dar conselhos sem primeiro “calçar os sapatos do outro”. Sem ouvirmos, sem entendermos, sem nos colocarmos no seu lugar. Quantas vezes pensamos que alguém que nos magoou o fez de propósito, e não vemos que essa pessoa pode estar a sofrer muito e que por isso magoou. Mas como vivemos numa sociedade que julga, que não ouve, e que disfarça e magoa, entramos neste sistema que nos rouba a paz e o discernimento.

Existe o preconceito em relação a Deus. Criamos um Deus à nossa medida, em função das nossas tradições, e a encaixar perfeitamente na doutrina que queremos transmitir. Em nome de Deus já se cometeram muitas barbaridades, se magoou muita gente, e ainda se continua a fazer. A Igreja já queimou muitas pessoas porque pensavam de forma diferente, ou porque tinham opções diferentes, consideradas erradas na época. Já vimos um papa pedir perdão. Mas será que serviu de lição? Ainda hoje se continua a queimar pessoas que pensam diferente, que optam por situações de vida diferente, que falam de um Deus de amor e de perdão, em que a doutrina é apenas uma ajuda para conhecermos melhor Deus e não para controlar as pessoas e aprisionar Deus nesses conceitos puramente humanos. E falo mesmo em queimar. Não na fogueira, graças a Deus. Mas existe muitas formas de se queimar uma pessoa… considerada não grata, ou fora do sistema…

Deus é maior que todos os conceitos que dele fazemos. E precisamos de o descobrir pessoalmente, e não nos prendermos a preconceitos que nos transmitiram, a ideias feitas, sem a descoberta pessoal. Deus não está fora de moda. O que está fora de moda é a forma como muita gente fala dele e para ele. Deus é mesmo fixe. Deus quer que sejamos felizes. Deus ama-nos, olha-nos com amor, leva-nos ao colo, compreende, não julga, esta sempre comigo, ensina-me a acreditar em mim mesmo, a saber perdoar-me e a perdoar os os outros, a saber apreciar a vida, a dar valor ao essencial. Sem Deus… não imagino sem Deus, porque Deus está em mim e não posso existir sem a consciência de mim mesmo.

Para combater o preconceito, utilizemos a arma do amor. Não por palavras, mas em obras e em verdade. Amor que é sinónimo de: diálogo, perdão, tolerância, respeito, empatia, sorriso, atenção, simplicidade, pobreza (no sentido de precisar dos outros), partilha, solidariedade, serenidade, enriquecimento pessoal e dos outros, gratuidade, emoção, ternura, paz, serenidade…..

One Comment leave one →
  1. miná ( Famalicão) permalink
    Maio 12, 2009 10:34

    Olá a todos!
    Desta reflexão, muito actual e concreta nos tempos que correm, destaco algumas frases que «tocaram mais»:
    Deus é maior que todos os conceitos que Dele fazemos
    Deus é mesmo fixe
    Deus quer que sejamos felizes
    Obrigada P: Zé Carlos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: