Skip to content

Ano Litúrgico

Janeiro 6, 2010

Olá a todos.

Certamente já todos ouviram o termo que serve de título a este artigo: Ano litúrgico. Que realidade estará presente nesta definição? Muitas pessoas saberão. Outras poderão desconhecer. Nós temos 4 evangelhos cheios de testemunhos de fé, pensamentos esplêndidos de Jesus, tanto no campo da fé quanto a nível da psicologia. Celebramos vários momentos da vida de Cristo, verdadeiramente significativos para a vida de um cristão, seguidor da doutrina e pensamento de Cristo. A próprio Igreja tem um património riquíssimo na figura e exemplo dos santos.

O ano litúrgico serve para celebrarmos tudo isto de uma forma faseada. É orientado seguindo os passos essenciais da vida de Jesus: Natal e Páscoa. Estas duas celebrações, pela importância que têm, são precedidas por tempos de preparação: Advento e Quaresma, respectivamente. Na Quaresma, na semana que precede a Páscoa, a Igreja celebra os últimos passos da vida de Cristo, a que chama Semana Santa. Começa com o Domingo de Ramos, na quinta celebra a instituição da Eucaristia, na Sexta a Paixão e Morte e no sábado e domingo a Ressurreição. A estas três celebrações chamamos Tríduo Pascal.
Nas semanas após, a Igreja prolonga a celebração, com o tempo de natal e o tempo pascal. O tempo de Natal termina com a Epifania e o da Páscoa termina com a Ascensão. Segue-se logo o Pentecostes e o Domingo da Santíssima Trindade e depois o Corpo de Deus.

No intervalo destas festas, recordamos os diversos ensinamentos de Jesus, seguindo as descrições dos três evangelistas sinópticos: um em cada ano. No ano A lemos o evangelho de Mateus, no ano B o de Marcos e no ano C o de Lucas. A esta fase denominamos Tempo Comum, que começa com o Baptismo do Senhor e termina com a festa de Cristo Rei. Durante a semana, a igreja celebra a memória dos santos, pessoas que procuraram viver norteadas pelos valores de Jesus.
Se o ano litúrgico começa com o primeiro domingo do Advento, termina com a festa de Cristo Rei, como que a dizer-nos que Cristo é termo da nossa caminhada, ele é a meta para a qual caminhamos.

One Comment leave one →
  1. miná ( Famalicão) permalink
    Janeiro 7, 2010 18:30

    Devo confessar que este tema não me é totalmente desconhecido, mas há sempre um ou outro pormenor que me escapa; isto para dizer que acho muito bem que se faça «esta catequese» de adultos, se assim será correcto dizer. Estes e outros assuntos são da inteira ignorância de muitos cristãos, e os senhores padres têm « obrigação» de explicar, comentar, apresentar…Já disse algumas vezes aos « meus párocos» da necessidade de abordar, ensinar, coisas como esta.Qual o momento e o local apropriado!?Quanto a mim seria na Eucaristia, pois é o local onde se concentram os cristãos; resposta: a Eucaristia é o momento celebrativo por excelência e não local para explicações…Fala quem pode e obedece quem deve…
    Parabéns, P. Zé Carlos por esta iniciativa; um dia destes mudo-me para uma das suas paróquias!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: