Skip to content

Se eu podia viver sem Deus?

Abril 12, 2010
tags: ,

Nós somos aquilo que acreditamos. Aquilo que acreditamos, seja no campo da religião ou não, é transversal às nossas emoções, à nossa estrutura mental e às nossas acções. Faz parte da nossa constituição, da nossa identidade. Isso vai influenciar a nossa visão de nós mesmos, dos outros e dos acontecimentos.

A nossa fé em Cristo deve ser algo estruturante para nós. Fazer dela uma parte da nossa vida, e não nos deixarmos impregnar por ela, vai definir a nossa visão da vida. Jesus não veio apenas falar do outro mundo, e que temos de sofrer para ir para o céu, que esta vida não vale nada. Jesus veio ensinar-nos a que é possível trazer o céu a esta vida. Que nós valemos muito para Deus. E que no fim teremos um Pai que nos acolhe de braços abertos. A fé não deveria ser apenas algo exterior e puramente comportamental, mas ser constitutivo da nossa identidade.

Deixo aqui o meu testemunho, com toda a convicção: Se me perguntarem se eu podia viver sem Cristo, eu respondo: Poder podia. Mas não era a mesma coisa.

Advertisements
6 comentários leave one →
  1. Ana permalink
    Abril 13, 2010 17:29

    Sem dúvida que esta resposta é a que mais sentido tem. Pois viver é fácil, dificil é tirar partido da vida que Deus nos deu e vivê- la sempre de forma consciente , livre e responsável.Precisamos de ter um modelo, uma referência, alguém que nos dê ânimo, que nos estenda a mão,e que, em muitos momentos de incerteza nos diga: ” Força, tu és capaz…” Quem conhece Cristo , e tenta fazer da sua vida e da sua forma de pensar um caminho a seguir, viverá muito mais feliz e fazerá mais felizes as pessoas à sua volta e disso eu não tenho dúvida.

  2. catequese.cucujaes permalink
    Abril 16, 2010 21:31

    Este pequeno artigo em que apanhou a frase que nos entra em casa diariamente várias vezes ao dia e que anda na boca da garotada é lindo!
    Gostei muito e por isso vou usar..
    Obrigada.
    Eu também respondia:poder podia (viver sem Jesus) mas não era a mesma coisa

  3. MCéu permalink
    Abril 17, 2010 05:37

    Digo eu, achar que, a minha fé é dimunita. Mas, de facto, eu ao sentir-me protegida por Ele, eu não poderia viver à deriva.
    Faz todo o sentido não me permitir a abandoná-Lo. Tenho mesmo que, acreditar mais e mais.
    Os sinais, são sempre evidentes, nós muitas vezes, não os vemos ou nem os relacionamos.
    Estou-Lhe grata.
    Sendo Jesus o nosso melhor Amigo, devemo-Lo conservar sempre como tal.

  4. Abril 17, 2010 10:59

    Se aprendermos a olhar para Jesus, não como um moralista, mas como alguém que conhecia bem a arte do diálogo; que ensina a questionar e deixarmo-nos questionar; a saber viver com espírito crítico; a saber superar os momentos angustiantes, e aprender com os erros; a não viver ansiosos com o futuro incerto, mas a prepara-lo vivendo bem o presente; que devemos ter a esperança no céu, mas que o devemos construir na terra; que ele é um amigo que nunca desiste de nós; que nos revelou um Pai amor, sem a incoerência do castigo de Deus; que é mais forte o perdão que o pecado; que nos ensina a força da docilidade do carácter; que é na fraqueza aparente que reside a sua força…
    então este Jesus é apaixonante. Não descuramos a questão moral, mas reforçamos o conhecimento de Jesus, a sua estrutura mental, a sua forma de amar, pensar, relacionar e ensinar. Este Jesus é apaixonante, envolve-nos, e a questão moral surge naturalmente, e não como a causa, mas o efeito da adesão a Jesus.

  5. Manuel permalink
    Abril 21, 2010 11:18

    De facto não é, de todo, a mesma coisa!

    E porquê?
    Pela simples razão de que Deus nos ensina a viver no respeito pelos outros.

    “Façam aos outros o que querem que eles façam por vocês” (Evangelho de São Mateus 7:12.)

    Que mundo seria este em que simplesmente imperasse o ódio, o egoísmo, a ganância, a arrogância, a guerra, a violação, o desprezo, a morte, a demonização?

    Que mundo seria este sem a fraternidade, sem o respeito, sem a solidariedade, sem a amizade, sem a misericórdia, sem a alegria, sem o amor.

    Viver em harmonia com os demais. Este é o sentido de Deus, isto é aquilo que Ele nos ensina.

    Se me perguntarem se eu podia viver sem Deus, eu respondo: NÃO!

  6. Fátima Fontes permalink
    Abril 27, 2010 23:44

    Se eu podia viver sem Deus?
    No dia do meu baptismo, deste-me um sinal de Ti, onde pudesse marcar a diferença no meio da sociedade de que faço parte; o que nem sempre acontece.
    Nem sempre falo de Ti e vivo com mais entusiasmo a força do meu baptismo. “Cristo libertou-nos para sermos realmente livres”. Deus é, para nós cristãos, um modelo de vida. Ele dá significado ao nosso destino, dá dignidade, respeito, transmite-nos confiança.
    Ser «Realmente livre» pode passar por eu deixar aqui meu testemunho: sei que sou hoje uma pessoa com erros e defeitos: sim, mas se não vivesse com Deus na minha vida, não me sentiria assim tão feliz, tão livre. Viver com DEUS, para mim, é tudo: é esperança, é querer, é acreditar que tudo é possível. Sem dúvida não era a mesma coisa. DEUS é AMOR.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: