Skip to content

Homenagem à amizade

Fevereiro 9, 2011
tags:

Escuta meu (minha) amigo(a).
A qualquer hora em que chegares, te sentarás comigo à minha mesa.
A qualquer hora em que bateres à minha porta, meu coração também se abrirá.
A qualquer hora em que chamares, eu me apressarei.
A qualquer hora em que vieres, será o melhor tempo de te receber.
A qualquer hora em que decidires, eu estarei pronto para te seguir.
A qualquer hora em que quiseres beber, eu irei à fonte.
A qualquer hora em que te alegrares, eu bendirei ao senhor.
A qualquer hora em que sorrires, será mais uma graça que o Senhor me concede.
A qualquer hora em que partires, eu irei a frente do caminho.
A qualquer hora em que chegares, eu estenderei os braços.
A qualquer hora em que te cansares, eu levarei a cruz.
A qualquer hora em que te sentires tristes, eu permanecerei contigo.
A qualquer hora em que te lembrares de mim, eu acharei a vida mais bela.
A qualquer hora em que voltares, renovarás todas as minhas alegrias.
A qualquer hora em que quiseres um rosa, eu te darei uma roseira.
Eu digo-te isso amigo(a), porque não posso imaginar uma amizade que não seja de toda vida, de todos os instantes e para todo o bem.

TKS…

9 comentários leave one →
  1. Fevereiro 9, 2011 23:42

    Hoje ouvimos a história daquela senhora que morreu já vai há 9 anos, e ninguém sentiu a falta dela, se importou com a sua sorte, a não ser uma vizinha.
    Vale a pena pensar em quanta solidão que existe no meio da confusão e do ruído. Posso estar sé e não sentir a solidão, como posso estar no meio de uma multidão, e sentir o fardo da solidão e do isolamento.
    Agradeço a quem me ajuda a não estar tão sozinho, a quem me ajuda a passar o tempo, que compreende, que escuta, que dá o ombro, que está presente… agradeço ao amigo, à amiga… que faz o nosso dia brilhar, e nos ajuda a sorrir, e que de noite da vida coloca as estrelas para que não nos sintamos sós.

  2. Fátima Fontes permalink
    Fevereiro 10, 2011 00:40

    Bonita homenagem à amizade. E como disse e bem, como é possível 9 anos ninguém sente a falta de um ser, de alguém que esta ao nosso lado, eu fiquei a pensar, como isto é possível?’ como??? Penso que temos que reflectir em coisas como estas, que vão acontecendo…que amizades temos uns para com os outros? Como não deram importância aquela senhora que tudo fez para que focem ver o que se passava?
    BONS AMIGOS

    Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
    Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
    Amigo a gente sente!

    Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
    Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
    Amigo a gente entende!

    Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
    Porque amigo sofre e chora.
    Amigo não tem hora pra consolar!

    Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
    Porque amigo é a direcção.
    Amigo é a base quando falta o chão!

    Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
    Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
    Ter amigos é a melhor cumplicidade!

    Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
    Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

    Machado de Assis

  3. Manuel permalink
    Fevereiro 10, 2011 17:14

    Não poderia estar mais de acordo com os comentários do José Sá e da Fátima Fontes quando evocam, na “homenagem à amizade”, a senhora encontrada morta em sua casa e ignorada pelos seus e por todos, durante mais de 9 anos. Atrever-me-ia a dizer que não foram 9 anos mas mais, muitos mais de total indiferença! Atrever-me-ia a dizer que este mundo é egoísta, ignóbil, vergonhoso, triste…! Atrever-me-ia a dizer que este mundo é desprezível!

    Como se morre de velhice
    ou de acidente ou de doença,
    morro, Senhor, de indiferença.

    Da indiferença deste mundo
    onde o que se sente e se pensa
    não tem eco, na ausência imensa.

    Na ausência, areia movediça
    onde se escreve igual sentença
    para o que é vencido e o que vença.

    Salva-me, Senhor, do horizonte
    sem estímulo ou recompensa
    onde o amor equivale à ofensa.

    De boca amarga e de alma triste
    sinto a minha própria presença
    num céu de loucura suspensa.

    (Já não se morre de velhice
    nem de acidente nem de doença,
    mas, Senhor, só de indiferença.)
    (poema de Cecília Meireles)

  4. Miná permalink
    Fevereiro 11, 2011 13:38

    LINDO, LINDO, LINDO, ESTE HINO À AMIZADE; DE VERDADE QUE É ISTO MESMO UMA AMIZADE PURA, DESINTERESSADA E VERDADEIRA.DOU GRAÇAS A DEUS PORQUE TENHO ALGUMAS AMIZADES ASSIM!

  5. Manuel permalink
    Fevereiro 18, 2011 13:14

    Não percas a tua fé entre as sombras do mundo.
    Ainda que os teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima de ti mesmo.
    Crê e trabalha. Esforça-te no bem e espera com paciência.
    Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá.
    De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança
    Em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação da fé e prosseguir vivendo.
    Eleva, pois, o teu olhar e caminha.
    Luta e serve.
    Aprende e adianta-te.
    Brilha a alvorada além da noite.
    Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte.
    Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.

    Chico Xavier

  6. Fevereiro 18, 2011 14:34

    “Crê e trabalha”. Aquilo que metemos na cabeça vai influenciar as nossas escolhas. As nossas escolhas serão a nossa identidade.
    Alguém passava perto de um circo e viu um elefante adulto, preso a um cadeado frágil, preso numa estaca. O elefante com um simples gesto poderia fugir, mas não o fazia. Curioso, inquiriu o proprietário, ao que respondeu. “Quando ele era pequeno, este cadeado e esta estaca eram o suficiente para o manter preso. Ele bem tentou soltar-se, mas não conseguiu. Cresceu preso a este cadeado e a esta estaca. Como no passado tentou e não conseguiu, ele interiorizou que jamais iria conseguir. Agora que é adulto, ele vive marcado com as recordações de infância e nem sequer tenta fugir, porque imagina que não é capaz”.

  7. Fevereiro 19, 2011 14:44

    Adorei esse blog ele tem otimos textos depois dê uma olhada no meu blog http://www.derlandreflexivo.blogspot.com/
    E se quiser deixar sujestões e criticas eu irei adorar, pois e sempre bom ouvir quem ja conhece sobre o assunto.

  8. Manuel permalink
    Fevereiro 21, 2011 13:24

    Havia um menino que tinha um temperamento difícil.
    Seu pai deu-lhe um saco de pregos e uma tábua de madeira e disse-lhe:
    -“ Cada vez que te zangares com alguém, prega um prego na tábua.”

    No primeiro dia o menino pregou 37 pregos.
    Todos os dias o menino lá ia pregando os pregos na tábua, até que percebeu que era mais fácil conter o seu temperamento do que pregar.
    Finalmente chegou o dia em que o menino não perdeu mais a paciência.
    Foi logo contar ao pai a sua façanha, que sugeriu que agora o menino tirasse um prego da tábua por cada dia que ele conseguisse conter seu temperamento.
    Os dias foram passando até que a tábua ficou sem os pregos.
    O pai olhou para a tábua e disse:
    -“Você fez bem, meu filho, mas veja os buracos na tábua. Nunca mais será a mesma. Quando falamos coisas que magoam, quando não somos justos, as palavras deixam uma cicatriz como estas. Podemos ficar arrependidos e pedir mil desculpas, podemos ser sempre perdoados, mas a ferida continua lá. Uma ferida verbal muitas vezes magoa mais que uma física.”
    -“Sabes filho, são os amigos que nos fazem sorrir e nos encorajam a seguir em frente. Eles nos dão ouvidos, nos emprestam o ombro, nos consolam e estão sempre dispostos a abrir o coração para nos”.
    -“Os Amigos são jóias raras”

    (desconheço o autor)

  9. Manuel permalink
    Fevereiro 23, 2011 00:47

    “Dê o melhor de você assim mesmo”

    Dizemos com muita frequência “eu tenho amigos (as)”, “o meu amigo”,…, mas muito raramente dizemos “eu sou teu amigo!”.
    Regozijamo-nos com o facto de termos amigos (e ainda bem que os temos), mas quantos sorrisos damos, só pelo facto de sermos nós amigos de alguém?
    O eu ter amigos, deve-se à bondade dos outros para comigo, é bom isso, claro que sim, mas não depende me mim, do meu ser. Simplesmente recebo a gentileza que têm para comigo.
    O ser eu amigo de alguém, depende exclusivamente de mim, da minha essência, do meu interior, da minha alma, da minha disponibilidade para com os outros. Esse é que deveria ser o nosso regozijo. A alegria do DAR!

    Deixo-vos esta lindíssima “lição” de Madre Teresa de Calcutá

    Se você é um vencedor,
    terá alguns falsos amigos
    e alguns amigos verdadeiros.
    Vença assim mesmo.

    Se você é honesto e franco,
    as pessoas podem enganá-lo
    Seja honesto e franco assim mesmo.

    O que você levou anos para construir
    Alguém pode destruir de uma hora para outra.
    Construa assim mesmo.

    Se você tem paz e é feliz,
    As pessoas podem sentir inveja.
    Seja feliz assim mesmo.

    Dê ao mundo o melhor de você,
    mas isso pode nunca ser o bastante.
    Dê o melhor de você assim mesmo.

    Veja você que, no final de tudo
    Será você… e Deus.

    E não você… e as pessoas!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: