Skip to content

Diálogo com Deus

Fevereiro 23, 2011
tags:

Cristão: Pai nosso que estais no céu…

DEUS: Sim? Estou aqui.

Cristão: Por favor, não me interrompas, estou a rezar!

DEUS: Mas tu chamaste-me!

Cristão: Chamei? Eu não chamei ninguém. Estou a rezar. Pai nosso que estais no céu…

DEUS: Aí, chamaste de novo.Cristão : Fiz o que?

DEUS:  chamaste. Tu disseste Pai nosso que estais no céu. Estou aqui. Como é que te posso ajudar?

Cristão: Mas eu não quis dizer isso. É que estou a rezar assim: Rezo Pai Nosso todos os dias, sinto -me bem rezando assim. É como se fosse um dever. E não me sinto bem até que o tenha cumprido.

DEUS: Mas como podes dizer Pai Nosso, sem lembrar que todos são teus irmãos, como podes dizer que estais no céu, se não sabes que o céu é a paz, que o céu é amor a todos?

Cristão: É, realmente, ainda não tinha pensado nisso.

DEUS: Mas, continua com a tua oração.
Cristão: Santificado seja o Vosso nome…

DEUS: Espera aí! O que  queres dizer com isso?

Cristão: Quero dizer… Quer dizer, é… Sei lá o que significa. Como é que vou saber? Faz parte da oração, só isso!

DEUS: Santificado significa digno de respeito, Santo, Sagrado.

Cristão: Agora entendi. Mas nunca pensei no sentido dessa palavra. SANTIFICADO.Venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim naterra como no céu.

DEUS : Está a falar a sério?

Cristão: Claro! Porque não?

DEUS: E o que fazes para que isso aconteça?

Cristão: O que faço? Nada! É que faz parte da oração, além disso, seria bom que o SENHOR tivesse um controle de tudo que acontecesse no céu e na terra também.

DEUS: Tenho controle sobre ti?

Cristão: Bem, eu frequento a Igreja!

DEUS: Não foi isso que EU perguntei. Que tal o jeito que tu tratas os teus irmãos, a maneira com que gastas o teu dinheiro, o muito tempo que  dás à televisão, as propagandas que corres atrás, e o pouco tempo que dedicas a MIM?

Cristão: Por favor. Pára de criticar!

DEUS: Desculpa. Pensei que estavas a pedir para que fosse feita aminha vontade. Se isso for acontecer tem que ser com aqueles querezam, mas que aceitam a minha vontade, o frio, o sol, a chuva, a natureza, a comunidade.

Cristão: Está certo, tens razão. Acho que nunca aceito a tua vontade, pois reclamo de tudo: se mandas chuva, peço sol; se mandas sol, reclamodo calor; se mandas frio, continuo reclamando; se estou doente, peço saúde, mas não cuido dela, deixo de me alimentar ou como muito.
DEUS: Ótimo que reconheces tudo isso. Vamos trabalhar juntos EU e tu, mas olha, vamos ter vitórias e derrotas. EU estou a gostar dessa nova atitude.

Cristão: Olha SENHOR, preciso terminar agora. Esta oração está ademorar muito mais do que costuma ser. Vou continuar: O pão nosso de cada dia nos daí hoje…

DEUS: Pára aí! Estás a pedir-me o pão material? Não só de pão vive o Homem, mas também da minha palavra. Quando me pedires o pão, lembra-te daqueles que nem conhecem pão. Podes pedir-me o quequiseres, desde que me vejas como um PAI amoroso: Eu estou interessado na próxima parte da tua oração. Continua!

Cristão: Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido.

DEUS: E o teu irmão desprezado?

Cristão: Estás a ver? Olha SENHOR, ele já me criticou várias vezes e não era verdade o que dizia. Agora não consigo perdoar. Preciso de me vingar.

DEUS: Mas, e a tua oração? O que quer dizer a tua oração? Tu chamaste-me, e EU estou aqui, quero que saias daqui transfigurado, estou a gostar da tua sinceridade. Mas não é bom carregar o peso da ira dentro de ti, não achas?

Cristão: Acho que me sentiria melhor se me vingasse!

DEUS: Não vai não! Vais-te sentir pior. A vingança não é tão doce quanto parece. Pensa na tristeza que me causarias, pensa na tua tristeza agora. Eu posso mudar tudo para ti. Basta que  queiras.

Cristão: Podes? Mas como?

DEUS: Perdoa o teu irmão, EU também te perdoarei e te aliviarei.

Cristão: Mas SENHOR, eu não o posso perdoar.

DEUS: Então não me peças perdão também!

Cristão: Mais uma vez estás certo! Mais do que quero vingar-me, quero a paz com o SENHOR. Está bem, está bem: eu perdoo a todos, masajuda-me SENHOR. Mostra-me o caminho certo para mim e para os meus inimigos.

DEUS: Isto que pedes é maravilhoso, estou feliz contigo. E tu como te sentes?

Cristão: Bem, muito bem mesmo! Para falar a verdade, nunca me tinhasentido assim. É tão bom falar com DEUS.

DEUS: Ainda não terminamos a oração. Continua…
Cristão: E não deixeis cair em tentações, mas livrai-nos do mal…

DEUS: Ótimo, vou fazer justamente isso, mas não te ponhas em situações onde possas ser tentado.

Cristão: O que quer dizer com isso?

DEUS: Deixe de andar na companhia de pessoas que te levam a participar de coisas sujas, intrigas, fofocas. Abandona a maldade, o ódio. Isso tudo vai levar-te para o caminho errado. Não uses tudo isso como saída de emergência.

Cristão: Não estou a entender!

DEUS: Claro que entendes! Já fizeste isso comigo várias vezes. Entras no erro, depois corres para me pedir socorro.

Cristão: Possa, estou envergonhado!

DEUS: Tu pedes-me ajuda, mas logo em seguida voltas a errar de novo, para mais uma vez vires fazer negócio comigo!

Cristão: Estou com muita vergonha, perdoa-me SENHOR!

DEUS: Claro que perdoo! Sempre perdoo a quem está disposto a perdoar também, mas não esqueças, quando me chamares, lembra-te da nossa conversa, medita cada palavra que falei! Termina a tua oração.
Cristão: Terminar? Há, sim, Amém.

DEUS: O que quer dizer amém?

Cristão: Não sei. É o final da oração.

DEUS: só deves dizer amém quando aceitas dizer tudo o que EUquero, quando concordas com minha vontade, quando segues osmeus mandamentos, porque AMÉM! Quer dizer, ASSIM SEJA,concordo com tudo o que rezei.

Cristão: SENHOR, obrigado por me ensinares esta oração e agora obrigado por me fazeres entendê-la.

DEUS: EU amo cada um dos meus filhos, amo mais ainda aqueles que querem sair do erro, querem  livrar-se do pecado. Abençoo-te e fica com a minha Paz!

Cristão: Obrigado SENHOR! Estou muito feliz em saber que és meuAMIGO.

4 comentários leave one →
  1. Miná permalink
    Fevereiro 24, 2011 22:08

    Muito bem pensada esta conversa! Estava «inspirado»?!Sinto-me esse CRISTÃO, muitas vezes, a sério! Sei bem o significado de cada palavra mas às vezes a rotina…

  2. Manuel permalink
    Fevereiro 27, 2011 00:16

    Era Dezembro, uma manhã de geada muito friorenta, lá estava eu com os deveres de pai a acompanhar o meu filho que ia para uma festa da escola, quando em passo apressado, como é seu costume, passa por mim o “jovem” ex. Seminarista, de quem já vos falei, e depois de uma troca de cortesia, ele me diz: -“ Vou ali falar com o meu Amigo e já venho.”
    Lá foi ele, em direcção à Igreja. Passado algum tempo volta para junto de mim, ao que eu lhe pergunto: – “e o seu Amigo?”.
    A sua resposta não se fez esperar e diz-me: “ Foi bom, hoje o meu Amigo estava muito conversador, bem-disposto, saí dali mais animado, sinto-me melhor, muito melhor.”

    Apesar de já ser sabedor de uma versão parecida ao que o José Sá nos presenteou, durante muitos anos a minha ignorância sobre a real dimensão do Pai-Nosso se limitava à minha tradução. Não sei se às crianças, jovens e adultos da Lama ou Sequeiro lhes é explicada o verdadeiro sentido de cada uma das frases do Pai-Nosso, mas entristece-me saber que, pelo menos na terra onde moro, até à bem pouco tempo, a catequese ainda é o que era no meu tempo.
    São estes diálogos explicativos que fazem de nós sabedores do que realmente significam as palavras.

    Quantos de nós vão à missa e “vomitam” um chorrilho de palavras sem dar conta do seu significado?!

    Seria preferível fazer como o meu amigo… “Vou ali falar com o meu Amigo e já venho

  3. Fevereiro 27, 2011 01:37

    Que linda partilha. Obrigado. Eu costumo falar muito com o meu “patrão”. Eu estou ao serviço dele, a orientar os filhos dele. E por vezes também cansa e sinto perdido. E sinto necessidade de desabafar com ele, pedir opinião, e dizer-lhe que se pode servir de mim para o serviço mas que ele tome conta dos filhos dele que eu as vezes não sei mais que fazer.
    A oração limpa o nosso coração, faz-nos olhar a vida com os olhos de Jesus.
    Quanto a catequese, concordo com o que diz. Esta é uma luta contínua, mas que aos poucos começa a dar resultado. Procuro mostrar o Deus que Jesus veio revelar, e quero ensinar as catequistas a fazê-lo. E já se vai conseguindo. Sei que em muitos sitios ainda não houve coragem de mudar as estratégias de acção pastoral. Mas um dia chega-se lá. Mudas hábitos enraizados é muito dificil. Mas Deus há de tomar conta dos seu rebanho. Temos é de o deixar agir.
    Pode-se dizer: mas é muito lenta a mudança”. “Pode chegar tarde”. Lembro a história do menino que salvava estrelas do mar e alguém dizia que não adiantava, que eram muitas e que ele não conseguiria. Ao que ele respondeu: posso não salvar todas, mas esta já salvei”.

  4. Março 16, 2011 16:09

    adorei!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: